“Ah mas você é tão corajoso! Largou tudo pra abrir a própria empresa? Eu queria tanto fazer o mesmo, mas eu não conseguiria.”

Tá aí outra razão pela qual decidi começar a escrever: essa frase. Ouvi tanto isso de amigos que percebi que algo estava torto… Sim, faço exatamente isso, mas ei, por mais que eu não goste de admitir, eu não tenho superpoderes. Larguei meu emprego, adaptei minha vida, profissão e estou investindo em minha empresa pelo mesmo motivo que você – porque eu tinha vontade. Minhas chancess de sucesso/fracasso são as mesmas que as suas e, me diz, que hora se não agora?

Todos os dias, o cidadão típico acorda às 6:15, toma banho em 15, os próximos 15 se vão no preparo e consumo de um café bem forte pra aguentar o dia que começa a raiar, além do pão com manteiga, queijo branco e quem sabe um mamão, se ele teve tempo de comprar no mercado no dia anterior. 6:50 o cidadão tá na rua, pra evitar o trânsito das 7. A noite mal dormida,o banho de gato, o café revirando no estômago – nada adianta muito: a rua já está bombando de pessoas que fizeram exatamente a mesma coisa e agora estão pensando que, no dia seguinte, precisam sair mais cedo.

Eu chamo isso de roda-gigante.

Você aí que se identificou com o começo desse post: que tal tentar antes de falar que não consegue? Aí vem: “eu preciso juntar dinheiro primeiro, depois penso nisso”, ou “não sei se tenho coragem, o que iam pensar meus pais/amigos?”, tem até o “pra você é fácil, mas e pra mim que não tenho nenhum talento?” Oras, quanta besteira. Você não precisa de dinheiro pra começar. As pessoas que amam você vão apoiar ao verem que está feliz fazendo o que está fazendo. Talento, nada mais é que uma predisposição - habilidade vem da prática. Eu monto produtos, desde moleque, com sucatas do dia-a-dia. Me formei em desenho industrial e decidi aplicar isso ao mundo da web: fui aprender programação pra criar novos serviços. Você, bem como eu, está beliscando o caminho que sonha em seguir. Vá em frente, aperte com força: dê o primeiro passo.

O caminho é longo e trabalhoso. Quando você joga tudo pro alto, com certeza vai voltar tudo pra baixo e você tem que estar disposto a fazer malabarismos. A boa notícia é que os loucos se encontram pelo caminho. Estou nesse processo de adaptações há mais de dois anos e, hoje em dia, também estou cruzando com histórias incríveis de amigos que decidiram que a hora era agora.

Semana passada fui no CEU Butantã, assistir a Paula, amiga, contar histórias para crianças. Ela estava radiante na nova ocupação! Não faz nem dois anos, havia aberto uma agência de publicidade e estava meio conturbada com tantas responsabilidades. Durante o fim de semana visitei o Markus Thomas em seu novo ap. Ele se formou em arquitetura e hoje em dia abraçou a música como filosofia de vida – e que som contagiante que ele está fazendo. Ah! Tantos exemplo. Mas agora, preciso ir: hoje a noite temos o coquetel da Maísa, uma amiga advogada que, na última vez que a vi, estava estudando árduamente para a OAB - agora ela está abrindo seu Ateliê de Cozinha.

Regular grupo girasonhos
Grupo Girasonhos

Regular markus thomas
Markus Thomas
Regular ateli  de cozinha ma sa campos
Maísa Campos Ateliê de Cozinha

Regular comtijolo e ma sa
com a Maísa

*texto adaptado, postado originalmente no meu antigo blog comTijolo