assombrado pelos questionamentos existenciais que me perseguem desde que me entendo por gente, percebi que ao acordar de um sono profundo, é possível sentir o que acredito ser um estado meditativo equivalente ao dos monges budistas.

isso acontece antes dos pensamentos mundanos inundarem a cabeça e antes mesmo dos olhos se abrirem. Todos os milhares de micro sistemas do corpo ainda estão se conectando e trazendo vida para este fenômeno que chamamos de consciência. É quando sentimos e observamos a presença do nosso ser, sem qualquer análise racional do que está acontecendo. Quando sentimos a nossa presença mas não carregamos o peso relacionado a existência. Esta é para mim a forma mais simples e prazerosa de captar a consciência.

dá uma sensação boa estar ali por alguns rápidos segundos, simplesmente existindo nesse estado letárgico.

é como a tela preta do seu computador sendo iniciado. Nada além de uma micro rodinha girando no centro da tela mostrando que de fato, existe vida ali e em breve, com sorte, algo deve acontecer.

mas nem sempre acontece.

será que estamos todos vivendo levemente anestesiados?

às vezes sinto que a maioria das pessoas que observo estão apenas sobrevivendo. É claro que isso pode ser apenas uma perspectiva egocêntrica já que tais observações teriam como um ponto de partida uma comparação com o meu próprio estilo de vida.

mas quantas pessoas você conhece que afirmam sem pudor que estão vivendo a vida que sempre sonharam?

não existe uma forma certa de se viver. Tudo é uma escolha. Mas estou seguro de que existe a forma ideal como cada um de nós poderia viver a própria vida, segundo nossos próprios valores, vontades e preferências. E nós podemos fazer dar certo... ou errado, com todas as escolhas que fazemos (ou evitamos) no dia a dia.

você está consciente do estado atual e de todas as possiblidades que existem aí, diante de você, apenas esperando uma decisão?

vivo a perguntar para meus amigos qual a percepção que eles tem sobre as pessoas à sua volta. Comparar perspectivas é um exercício intrigante. É como usar um óculos de grau, trocar por um de sol e trocar por um óculos 3D. A vista é a mesma mas com cada lente vemos coisas diferentes.

muitos acreditam que tem muita gente que passa a vida toda dormindo. Até mesmo - 'anestesiadas'. Implicando, sutilmente, que eles os interlocutores é que estão vivendo acordados. Será essa apenas uma fantasia da nossa mente pra nos protegermos da fragilidade emocional que todos temos, fingindo fortaleza para esconder nossas sombras?

Nietzche enxergava a consciência como a última fase da evolução do sistema orgânico e por isso a parte menos desenvolvida de qualquer animal. Em 'A Gaia Ciência', o filósofo alemão escreve:

"Considera-se que o consciente é uma constante! Nega-se o seu crescimento, as suas intermitências! (...) Julgando possuir a consciência, os homens pouco se esforçaram para a adquirir; e hoje ainda estão nisso!"

isso foi em 1882. E hoje ainda estamos nisso.

é como se nós enquanto sociedade escolhessemos viver em águas rasas. Apesar das ondas quebrando, tudo parece previsível e calmo. Confortável. Alguns mais ousadinhos decidem nadar em águas mais profundas. O caminho longe da superfície tende a ficar frio, arriscado e solitário. Mas então, estes seres de alma exploradora tem todo o oceano ao seu dispor. Mesmo no escuro, enxergam com mais clareza a complexidade de sua existência. Sentem na pele os efeitos das adversidades. E podem falar, cantar, escrever e desenhar representações de suas experiências. Ninguém quer, afinal, ler nada sobre uma vida confortável. Em consequência, estas leituras das experiências alheias vão inspirar a próxima geração de ousadinhos.

mas independentemente da maneira como você escolhe levar a sua vida, existência acaba se tornando sinônimo de dor. Do momento que você nasce você está fadado a sentir - e causar - dor até o momento da sua morte. Pode ser desconfortável, mas é simplesmente como as coisas funcionam neste espaço-tempo. Nosso universo é o exemplo perfeito de como essência e significado é criado a partir do caos. Não existe transformação sem conflito. Não existe pérola sem incômdo. Por algum motivo estranho parece que nossa alma precisa de experiência e ruptura para criar resistência e gerar caráter.

mas antes de iniciar qualquer desenvolvimento pessoal, acredito ser essencial dar-se conta de si, pra valer.

o discurso de um grande escritor americano sempre me vem a cabeça quando falo sobre esse assunto. Um tempo antes de cometer o suicídio, David Foster Wallace falou pra uma turma de graduação sobre consciência e perspectivas humans. Uma agência inteligente acrescentou imagens na fala e criou-se um conteúdo que eu sempre recomendo para os meus amigos. Não é mais possível encontrar no Youtube, mas eu gravei pra você, amig@, poder ver aqui.

simplesmente adquirir consciência me faz melhor?

além de adquirir consciência de si e do seu entorno, me parece essencial entender da onde você veio e pra onde você quer ir. Durante anos conversando com pessoas, empreendedores e observando meus próprios comportamentos, percebi que encontrar, entender e descrever os seus motivadores mais profundos, é um dos principais fatores que auxiliam na compreensão do caminho a ser percorrido. Ter clareza sobre o que te motiva diariamente é parte essencial para alcançar os seus objetivos.

com base nisso podemos definir caminhos coerentes a serem traçados e aspectos principais que fazem sentido serem trabalhados para dar suporte à jornada em direção às nossas metas. Parece simples mas eu fico cada vez mais impressionado como até mesmo as pessoas que tem total clareza de seus desejos continuam sem implementar comportamentos alinhados às suas vontades.

para atrair o que você deseja, você precisa primeiro se tornar uma representação da sua visão. O resultado percebido externamente é fruto do trabalho executado internamente. Configuração mental e estado de espírito importam muito neste processo de descobrimento e revelações. Cada detalhe da narrativa que contamos para nós mesmos todos os dias se tornam os capítulos do livro que escrevemos sobre a história da nossa vida. Pense, fale e faça o que a pessoa que você quer se tornar pensaria, falaria e faria.

Kelly Slater, o maior surfista de todos os tempos com 11 títulos mundiais (até a data de hoje) é um bom exemplo para ser citado aqui. Provavelmente o atleta mais bem sucedido a pisar no nosso planeta, ele é uma ótima representação de clareza de objetivos (ganhou o primeiro título aos 20 anos de idade, recorde de mais novo), de perseverança (ganhou o último título em 2011, aos 39, recorde de mais velho), e de disciplina para manter sua saúde no melhor nível possível. Para alcançar tudo isso, Kelly dedica boa parte do seu dia ao autoconhecimento e autodesenvolvimento, focando nos treinamentos, yoga e alimentação equilibrada, leve e sustentável.

"Eu tento pensar sobre saúde e como vou me sentir quanto eu tiver 50, 70, 80 anos de idade. Se você não quer envelhecer e ter seus filhos cuidando de você, você provavelmente deveria estar pensando nisso neste momento."

apesar de não ser um atleta profissional, sou adepto da mesma filosofia de vida do Kelly. Se eu posso melhorar, da maneira que for, a minha vida e das pessoas à minha volta, eu vou fazer de tudo para conquistar isso. Permita-me citar alguns exemplos de questões que enfrentei pelo caminho que podem servir de parâmetro para alguns conceitos apresentados aqui.

eu sempre tive o sonho de empreender e viajar pelo mundo. Pelos últimos dois anos minha vida se resumiu a basicamente isso. Venho de uma família que apoia minhas decisões mas, ainda, assim, tradicional em muitos aspectos. Para tornar meus sonhos realidade, eu tive que me desfazer de muitas crenças e quebrar muitas barreiras que antes pareciam muito altas para serem sobrepostas. E ainda é assim, todos os dias.

eu nasci com uma saúde frágil e tive que tomar uma série de antibióticos e anti-inflamatórios e anti-tudo desde os 2 meses de idade. Durante minha adolescência eu ficava doente a cada duas semanas, com surtos de rinite e bronquite. Eu tinha dificuldade de respirar e sentia dores constantes ao tentar me comunicar devido a obstrução das minhas vias respiratórias. Hoje é raro eu adoecer e já fiquei mais de 5 anos sem nem um resfriado. Como? Consciência corporal e mão na massa. Uma vez que eu entendi os meus porques, pude aprender sobre os meus níveis de energia e reverter esta situação, através de hábitos, alimentação e esportes.

e assim foi com a balada, a televisão, o refrigerante, a carne, o leite, a bebida alcoolica, as companhias...

entenda o que você está buscando, observe o que está te atrapalhando e tome as atitudes necessárias para superar as suas barreiras. A maioria delas, acredite, é pura conjectura da nossa própria cabeça. Outras, podem ser condições físcias mas podem ser contornadas da maneira que for possível para você. É por isso que, entre muitos outros rituais, durmo todos os dias de meias, não importa o calor, e faço exercícios de respiração e yoga, todas as manhãs. Adaptei meus comportamentos para extrair o melhor que eu, do jeito que eu nasci, posso ser.

e pra quê tanto desenvolvimento?

saúde física é uma parte importante para uma vida feliz. Não tem nenhum segredo nisso. Contudo, o trabalho de consciência e desenvolvimento se torna especialmente gratificante quando aplicamos as diretrizes aqui discutidas para compreensão do que realmente te faz feliz e te faz pulsar. O que te faz levantar da cama todas as manhãs com gana de botar pra quebrar. O que te faz ficar acordado até tarde para executar, com entusiasmo, tudo o que você quer realizar na sua vida.

o fato que você nem deveria estar vivo já poderia ser motivo suficiente para você estar feliz e grato por estar aqui, respirando e lendo estas linhas. Nós temos uma chance, uma vida. A forma como vivemos, dia após dia, é que vai realmente determinar o nível de felicidade e satisfação que vamos sentir durante nossa existência. E o nível de arrependimento que vamos enfrentar no leito de morte.

mas, além de existir, temos aquela voizinha dentro de nós querendo sempre mais. Pois então convide-a para um passeio na floresta, faça as perguntas difíceis. Aqui estão algumas das minhas favoritas:

  • no que você pensa, de forma recorrente, quando está extremamente cansad@, antes de dormir, durante o seu sono, ou depois de acordar?
  • se dinheiro não fosse um problema, o que você estaria fazendo neste momento?
  • o que faz o se coração realmente pulsar e te dá aquele frio na barriga?
  • qual é o maior desafio da sua vida neste momento?
  • como se parece um dia ideal na sua vida?
  • pelo quê o seu eu mais jovem ficaria triste de você ter parado de fazer?

apenas perguntar não é suficiente. Você precisa ralar para encontrar as respostas verdadeiras. Sentimentos, pensamentos, atitudes, hábitos, palavras. Uma coisa leva a outra durante a construção do roteiro ideal da sua vida.

você não precisa, portanto, se tornar um monge para assumir o controle da sua consciência e do seu desenvolvimento.

aos poucos, aqueles momentos de consciência profunda que você aprendeu a observar ao acordar se tornam mais frequentes durante o seu dia, e a ausência de atrito na resolução das dificuldades do cotidiano revelarão uma pessoa muito mais feliz e satisfeita.

e você vai saber quando este momento chegar. Você vai querer começar a compartilhar o que você aprendeu na sua jornada, com a esperança que sirva de inspiração para mais pessoas se sentirem como você está se sentindo.