Constância uma das qualidades mais raras e admiráveis em uma pessoa. Desde garoto me questiono sobre esse assunto e talvez seja por isso que, Forrest Gump, o contador de histórias, seja um dos meus filmes favoritos.

Constância envolve a danada da rotina, e eu não conheço ninguém, além de Forrest, que a considere sua melhor amiga: parece que nós queremos sempre algo a mais e algo diferente. Infelizmente, é evidente que para todos que querem alcançar algum objetivo, a rotina acaba se tornando a nossa maior parceira.

Para solucionar este impasse, me parece que a motivação, vulgo a amante ardente por trás de qualquer rotina, esteja sempre presente. Estou falando de uma garra e vontade de vencer tão fortes quanto as da seleção masculina de vôlei do Brasil, a seleção mais vitoriosa de todos os tempos.

O que Forrest Gump tem a ver com isso?

O personagem vivido por Tom Hanks, é a constância em pessoa. Seja jogando enquanto se torna campeão mundial de ping-pong; pescando enquanto cria uma empresa multibilionária de comércio de alimentos à base de camarão; correndo pelo mundo equanto quebra recordes e inspira legiões de fãs; liderando revoluções políticas ou correndo atrás do seu verdadeiro amor, Forrest é um exemplo de persistência cega, frequentemente sem motivos aparentes, simplesmente porque ele “sentiu vontade.”

Ao mesmo tempo, suas rotinas repetitivas eram interrompidas abruptamente quando se dava conta que não queria mais fazer aquilo.

Faltava para Forrest, uma razão, um objetivo, um sonho para almejar e conquistar. Ele simplesmente vivia intensamente. Apesar de romântica, trata-se de uma história triste em muitos aspectos, que aborda um personagem sem visões de futuro e consequentemente, sem conquistas a serem celebradas.

Regular forrest gump
Forrest Gump ao desistir da corrida e abandonar sua legião de fãs.

São poucas as pessoas que amam a própria rotina. Claro, é compreensível que uma sequência ordenada de afazeres repetidos diariamente não faça todos nós, seres humanos inconstantes, pularmos de alegria. Mas, como já sabemos bem, só a repetição traz a perfeição, e isso vale para qualquer habilidade que queremos aprender.

Lutar esgrima, assar um pão, desenhar uma pessoa, escrever um texto, tocar um jazz - nós só vamos dominá-las, se as realizarmos repetidamente. O mesmo vale para você que está buscando uma promoção na multinacional que faz carreira, ou para você que está abrindo o seu próprio négocio. Você não precisa necessariamente amar a sua rotina, mas é preciso ter claro os motivos pelos quais você tem essa rotina, em primeiro lugar, para não nos perdermos pelo caminho por falta de motivação, como frequentemente acontecia com Forrest Gump.

Só assim a melhor amiga, a parceira e a amante podem estar conscientes de sua co-existência para trabalharem juntas na realização dos seus objetivos.

Qual é a sua maior paixão?

No final do ano passado a seleção brasileira de vôlei se tornou tri-campeã da copa do mundo. Mais um título dentre uma lista infindável que contempla todos os títulso que poderiam ser conquistados. Nossa seleção está no topo do ranking da FIVB (federação internacional de vôlei) há 14 anos, desde 2006! Como eles conseguem?

Só disciplina e dedicação por parte dos atletas à rotina massante de treinos não seria suficiente para manter um comprometimento tão duradouro. Só a destreza dos técnicos Bernardinho e Renan não seriam suficientes. Só uma boa administração também não.

Existe uma motivação ardente por trás de toda essa empreitada, em conquistar, reverenciar o passado vitorioso e se manter no topo. E essa constância existe há quase duas décadas, antes mesmo da seleção ser notada. No caso de Forrest Gump, esta motivação inabalável só era encontrada em sua busca e amor incondicionais por Jenny, sua queridinha do colégio.

Para ser uma pessoa constante, ter sucesso em suas empreitadas e alcançar satisfação pessoal, é preciso encontrar o equílbrio das queridinhas presentes em sua vida. Não se preocupe se você não é apaixonado pela rotina. Lembre-se de tê-la como uma parceira e de visitar sua amante, a motivação, todos os dias.

Uma rotina produtiva é o fator resultante entre objetivos claros, repetição ordenada e motivações fortes.

É como se Forrest fizesse parte da seleção.

*texto adaptado, postado originalmente no meu antigo blog comTijolo