"O ATUAL MODELO DE CIVILIZAÇÃO É CONTRA OS CICLOS NATURAIS DA VIDA, CONTRA A LIBERDADE QUE CONSISTE EM TER TEMPO LIVRE PARA VIVER."

Meados dos anos 60 no Uruguai. O movimento Tupamaro começa a ganhar força em Montevidéu contra as desigualdades e os primeiros sinais de ditadura civil-militar no País. Seus membros assaltam bancos e mercados e distribuem dinheiro e comida roubadas entre os pobres da cidade. Os jornais estampam o slogan do movimento não armado nas primeiras páginas:

“PALAVRAS NOS SEPARAM; AÇÕES NOS UNEM.”

O governo fecha o cerco no grupo que decide se armar. Sequestros, bombas, assassinatos. O movimento crescia em resposta à repressão. José Mujica, um agricultor de trinta e poucos está entre as centenas de militantes que invadem a cidade de Pando e tomam conta dos órgãos públicos. As forças armadas são convocadas e acabam com a festa. José é preso, escapa, foge da polícia e é baleado seis vezes antes de ser jogado na prisão por 14 anos dos quais 2 foram em regime desumano, trancado no fundo de um poço.

"É UM ERRO PENSAR QUE O PODER VEM DE CIMA, QUANDO NA VERDADE ELE VEM DOS CORAÇÕES DAS MASSAS (...) LEVEI TODA UMA VIDA PARA APRENDER ISSO."

José Alberto “Pepe” Mujica Cordano nasceu em Montevidéu em 1935. Filho de um pai descendente de espanhóis, que morreu quando tinha 5 anos de idade, falido, e de uma mãe descendente de imigrantes italianos desfavorecidos. Penou e pedalou muito durante a infância e em 1960 Pepe se juntou ao movimento Tupamaro.

"O DEUS MERCADO ORGANIZA A ECONOMIA, A VIDA E ALIMENTA A APARÊNCIA DE FELICIDADE. PARECE QUE NASCEMOS SÓ PARA CONSUMIR E CONSUMIR E QUANDO NÃO PODEMOS, NOS CONTENTAMOS COM A FRUSTRAÇÃO, POBREZA E AUTOEXCLUSÃO."

O garoto pobre da fazenda virou guerrilheiro e depois prisioneiro. Com o fim da ditadura, foi libertado e criou junto com os Tupamaros o partido político “Movimento de Participação Popular.” O encarcerado ganhou a liberdade e depois as eleições. Virou deputado, senador e finalmente assumiu a presidência do Uruguai em 2009.

“CABE-NOS A INCÓGNITA: DEIXAMOS NOSSO INSTINTO DE DEFENDER A VIDA POR SUA ESSÊNCIA E NOS PRENDEMOS NO CONSUMISMO FUNCIONAL E NA ACUMULAÇÃO.”

Como o atual presidente do Uruguai, Pepe Mujica defende um ponto de vista um tanto quanto agnóstico. Ele prega aos quatro ventos que deveríamos valorizar a vida em sua mais bela e incompreensível essência. Dos $12.500 dólares que recebe de salário, doa 90% para caridade. Dirige um fusca velho e tem uma plantação de crisântemos em sua fazenda onde vive com sua mulher, uma ex-guerrilheira. Vem ganhando popularidade e atenção internacional por seu carisma e apelos pela natureza. Discursou por mais de 40 minutos na última terça-feira durante a 68ª Assembleia-Geral da ONU em Nova York, onde criticou fortemente a máquina do capitalismo, a frieza da sociedade moderna e a devastação causada pela civilização.

“ARRASAMOS AS SELVAS E AS SUBSTITUÍMOS POR SELVAS DE CONCRETO. ENFRENTAMOS O SEDENTARISMO COM ESTEIRAS, A INSÔNIA COM REMÉDIOS, A SOLIDÃO COM ELETRÔNICOS E PENSAMOS SER FELIZES LONGE DO CONVÍVIO HUMANO.”

Todas as frases deste post foram retiradas deste discurso que vocês podem acompanhar pelo video abaixo. Tem que ter muita personalidade pra encarar os expoentes do capitalismo no olho, durante um evento internacional da ONU e dar-lhes uns tapas na cara como Mujica deu.

"É UMA CIVILIZAÇÃO CONTRA O TEMPO LIVRE (...) QUE NÃO NOS PERMITE VIVER AS RELAÇÕES HUMANAS. SÓ O AMOR, A AMIZADE, A SOLIDARIEDADE, E A FAMÍLIA TRANSCENDEM. (...) O CERTO HOJE É QUE PARA A SOCIEDADE CONSUMIR COMO UM AMERICANO MÉDIO SERIAM NECESSÁRIOS TRÊS PLANETAS. NOSSA CIVILIZAÇÃO MONTOU UM DESAFIO MENTIROSO."