Numa dessas cartas que são passadas de geração em geração - que ganhei de meu avó há muito tempo atrás - li pela primeira vez sobre o autoconhecimento:

“Conhece a ti mesmo, tal qual é.”

Todos nós criamos, por vezes inconscientemente, diretrizes de vida próprias - seja por influência de religião, pais ou experiências tapas-na-cara. Com estas enfrentamos o dia-a-dia da melhor maneira que entendemos: ter empatia pelas pessoas; dar o melhor de si; alimentar-se de forma saudável; fazer exercícios; dormir pelo menos 8 horas, cumprimentar os porteiros. Seja lá o que for, você vive o seu cotidiano apoiando-se nestes hábitos e condutas.

Ótimo, mas antes disso tudo, é fundamental olhar para nossa essência e avaliar fisiológicamente nossas predisposições físicas e mentais para suportar estes códigos.

  • Será que eu sou naturalmente mais reservado e por isso posso preservar minha energia ficando longe de lugares muito lotados?
  • Talvez eu não precise ingerir bebidas alcoólicas para socializar porque eu já sou bem sociável normalmente.
  • Ou talvez eu seja mais produtivo dormindo menos a noite e tirando uma soneca à tarde.
  • Será que eu não trabalho melhor bem cedinho, e assim posso sair mais cedo do trabalho e ter mais energia pro dia seguinte?

Outro dia um amiga me disse: “Eu acho que todas as crianças deveriam aprender, desde pequenas, a tirar um tempinho no dia para ter uma pausa, meditar, planejar os afazeres do dia e pensar sobre a vida.” Pois essa frase veio a calhar com o texto de hoje: mesmo que as tarefas de uma criança não passem de brincar de barbie ou escovar os dentes, eles aprenderiam, desde cedo, a conhecer o próprio corpo, energia e disposição para levar o dia.

hoje eu sei que eu gostaria de ter aprendido isso muito antes.

Tratando de produtividade no trabalho, a história se repete. Você precisa entender seus níveis de energia durante as horas de um dia, para se organizar e produzir de forma substancial. A maioria dos materias escritos neste assunto falham logo na primeira parte. Não, não existem os “7 passos para ser mais produtivo”, se o primeiro não for justamente o auto-conhecimento, um ponto de partida para moldar os outros todos.

O relógio interno de cada indivíduo é diferente e não adianta lutar contra pra seguir passos definidos por outros. A grande maioria dos morcegos são fotosensíveis, e por isso tem hábitos noturnos. Assim como estes, tem pessoas que também tem mais energia no fim do dia. Minha namorada não funciona durante a madrugada enquanto eu posso trabalhar por horas a fio na calada da noite e produzir muito.

Isso significa que ter uma rotina matinal pode ser bom para você... mas para outras pessoas, o simples fato de tentar se adequar a uma rotina que funciona para outra pessoa pode ser, diante da resistência inicial, um fator frustrante e desencorajador.

Ou seja, comece devagar.

Faça testes durante uma semana ( ou mais ), trabalhe em coisas diferentes durante diferentes horas do dia, anote os resultados. Você vai perceber que, talvez você consiga ler mais livros durante o dia do que a noite, ou que consegue escrever melhor à noite. Ou que está mais criativo durante o chá da tarde.

Seja como for, avalie, aprenda e pratique.

Produzir mais e melhor não tem nada a ver com mais horas investidas. É tudo uma questão de conhecer bem os seus níveis de energia internos, para poder investir melhor nas horas disponíveis.