dois anos atrás quando comecei essa jornada, tomei a decisão de não planejar absolutamente nada. De ir e me deixar levar. De quebrar o ciclo vicioso dos anos que antecederam a minha viagem, planejando e executando minha vida nos mínimos detalhes.

eu precisava mudar, cara! Resgatar aquele espírito aventureiro que ainda habitava dentro do meu ser, recluso, esperando o dia em que eu ia voar pra algum lugar exótico, por o pé na estrada, conhecer pessoas diferentes, me por em situações de risco mais significativas que andar de moto na hora do rush em São Paulo.

este texto não tem o intuito de listar minhas conquistas pelo mundo. Esta não é a época dos pioneiros desbravadores de continentes perdidos.

descrevo aqui minhas experiências com a intenção de mostrar que muito provavelmente você já tem o que é preciso para, caso um dia passe pelo seu imaginário, se aventurar numa jornada dessas e encarar os desafios que podem por ventura aparecer.

deixa eu te falar... o mundo corporativo é muito mais assustador que a estrada.

no dia 15 de abril de 2018 eu estava chegando na tão sonhada capital comercial do mundo. Nova Iorque é onde as coisas acontecem, onde os sonhos se realizam, onde as pessoas aparecem. Pelo menos é isso que dizem os filmes e as músicas. E talvez por isso que muitos anos antes essa cidade já habitava o meu imaginário. Eu não estava, contudo, contando com uma margem satisfatória de fluxo de caixa para aproveitar todas as regalias da cidade que nunca dorme.

porra, a verdade é que eu tava mesmo quebrado. E isso que tava me tirando o sono.

eu havia esgotado minhas últimas economias nos três meses anteriores viajando por la América Latina, minha agência de marketing tava parada por puro descaso, não tinha clientes novos e nem perspectivas de entrada de dinheiro. Pra completar o buraco ainda estava no processo de quitar uma dívida de 30 mil reais de um investimento que não tinha dado certo.

fora o coração partido que ainda não tinha superado o pé na bunda da mulher que eu amava depois de 8 anos de relacionamento.

um bom começo pra um texto que fala de habilidades corporativas.

meu sonho de fazer uma viagem ao redor do mundo estava seriamente ameaçado. E pra piorar recebi a notícia que minha avó estava doente em seu leito de morte. Parecia que a única alternativa sensata era pegar os últimos reais que me restavam para voltar com o rabo entre as pernas pras minhas raízes onde eu tinha mais conforto dentro da minha rede de segurança emocional, familiar e de negócios.

pelo telefone, meu pai me disse que minha avó já não acordaria mais. Que não faria sentido eu voltar pra uma situação que não correspondia às boas memórias que eu tinha dela. Que se ela pudesse falar, ela ficaria mesmo feliz se eu continuasse a perseguir os meus sonhos.

naquele ponto minha avó já estava de fato inconsciente, sem volta, mas meses depois meu pai me confessou que uma das últimas coisas que ela tinha falado é que ela não queria morrer antes que eu voltasse da minha viagem.

obrigado, pai. 🙏


(capítulo 1) VENDAS

a virada da trama da jornada do brasileiro perdido por Nova Iorque acontece quando eu decidi assumir a responsabilidade. Sabe como é, chega um momento de nossas vidas que nós temos que parar de brincar de cowboy, já que não estamos mais nos tempos do velho oeste, pegar às rédeas do nosso destino pelo punho e falar, vem que tem. Tô pronto pra batalha meu velho.

eu queria ficar pelo menos 1 mês em Nova Iorque, para conhecer a cidade e focar em conseguir novos clientes pra minha agência. Fui recebido por amigos da minha irmã durante a primeira semana. Eu estava no Brooklin, um bairro cool de New York, mas pouco conheci das redondezas.

pra começar passei um dia inteiro enviando e-mails para hotéis da região oferecendo os serviços da minha agência. Foram mais de 30. Tantos que meu endereço de email ainda hoje tem uma baixa reputação por ter sido marcado como spam muitas vezes naquela semana. Somente um ou outro responderam... negativamente. Aqueles sete dias foram decisivos para a continuidade da minha viagem. No dia seguinte eu recebo a seguinte nota:

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

*o hotel pediu sigilo de nomes :)

"não precisamos dos serviços de nenhum viajante brasileiro. Mas você pode passar aqui amanhã para tomar o melhor café da manhã da cidade e conversarmos um pouco pra quem sabe fecharmos algum acordo."

foi a única resposta semi-positiva que eu recebi. Mas uma é tudo que precisamos. No dia seguinte fui recebido pelo "Smith" e mais 3 diretores do hotel durante o breakfast. Eu vejo essa reunião como um importante momento da minha viagem. O acordo só aconteceu porque eu já havia estado em reuniões suficientes durante minha vida vendendo meus serviços e tinha a mínima noção de como gerenciar as expectativas das pessoas ali presentes.

acabei ficando 3 semanas hospedado neste hotel super tradicional, no coração de Manhattan. Ofereci um relatório de Posicionamento da marca e estratégia para as mídias sociais.

desta forma eu conquistei a margem de tempo que eu precisava para fazer a roda da minha agência girar. E pelas próximas 3 semanas eu produzi uma imensidão de conteúdo de alto valor que acabou me trazendo novos clientes e oportunidades. Inclusive a do próximo capítulo dessa história.

esquece seu preconceito com vendas. Você precisa e está se vendendo em todos os momentos. No seu emprego, no seu flerte, na sua empresa. Pratique a arte da persuasão ética.


(capítulo 2) NETWORKING

você já conhece bem essa palavra. Cultivar conexões. Quando eu tava postando um monte de conteúdo no instagram da minha agência, a proprietária da PerPurr (uma empresa de Cosméticos Orgânicos de luxo de Madrid que atende vários hotéis cinco estrelas da Europa) se sentiu impactada por um desses conteúdos (que curiosamente tinha a ver com a história que contei acima) e me convidou, ali mesmo nos comentários, para eu passar por Madrid e ficar na chácara dela para conversarmos sobre negócios (eu não a conhecia pessoalmente, mas ela é irmã de uma amiga da época colégio).

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

assim foi e por quase 1 mês fei hospedado na casa deles. Além de uma conexão profissional, os proprietários (um casal) da empresa se tornaram grandes amigos. Nós tivemos longas conversas e pude ajudá-los com um olhar estratégico da empresa e com ferramentas digitais para facilitar os processos da marca que estava em plena expansão. Hoje continuamos em contato, socialmente e sempre experimentando novas formas de nos ajudar profissionalmente.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem


todas as conexões que você faz pelo caminho são importantes, de uma forma ou de outra. Cultive-as.


(capítulo 3) PROATIVIDADE (mão na massa sem mimi)

vamos voltar ao início de 2018. Durante estes dois anos eu fiz 3 trabalhos manuais em troca de algum recurso que poderia manter a minha viagem. O primeiro, na argentina, num esquema Workaway bem conhecido, onde vc troca estadia por alguma ajuda. No meu caso, ajudei uma senhora com o seu jardim e deck da casa dela. Fiquei lá por 3 semanas. Quando estava terminando os meus dias por lá, eu literalmente vi uma placa enquanto caminhava pela estrada que lia "Futaleufú - 20 km".

há tempos essa região da patagônia chilena habitava o meu imaginário. Eu acompanhava com os olhos de uma criança enquanto via as imagens surreais postadas pelo PATA, um Eco Organic Lodge de alto luxo localizado no meio de um desfiladeiro das montanhas dos Andes, banhado por um dos melhores rios de rafting do mundo que leva o mesmo nome da região, Futaleufú.

eu conhecia, por intermédio da minha ex-namorada, um dos sócios proprietários do empreendimento. Entrei em contato, agendei uma visita e pra lá eu fui sem saber no que ia dar. O outro sócio-proprietário que vive por lá me recebeu e entramos num acordo que eu poderia ficar lá por algumas semanas se eu ajudasse, assim como todos faziam por lá, com as tarefas que uma fazenda demanda.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

acabei ficando mais de três semanas, ajudando-os com a plantação de mirtillos. São tantas memórias boas que nem sei por onde començar. Me receberam como parte da família e me deram acesso total aos suprimentos que eles cultivavam ali mesmo pro restaurante orgânico da fazenda.

claro, foi uma das partes mais trabalhosas da minha viagem, conciliar as tarefas manuais com as demandas da minha agência.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

tinha dias que eu tinha que acordar no meio da madrugada para trabalhar com os clientes da minha agência usando o fraco 1,5G que chegava na propriedade. Mas valeu cada segundo por estar naquele paraíso rodeado de pessoas tão interessantes enquanto eu me localizava naquela nova realidade nômade da minha vida.

por a mão na massa é a única maneira de fazer os seus sonhos se tornarem realidade. Literalmente.


(capítulo 4) COLABORAÇÃO

outro episódio bacana para o contexto desse artigo aconteceu ainda na américa do sul, à caminho de Cusco, no Peru. Durante a viagem de ônibus conheci dois jovens brasileiros talentosos e começamos a falar de projetos. Atilas, filmmaker e Gustavo, fotógrafo, estavam começando uma jornada pela américa do sul com o intuito de registrar tudo e criar uma série de viagem no YouTube.

ainda no ônibus conversamos sobre o início da empresa de audiovisual deles. Eles ficaram super empolgados com aquela breve conversa de estratégia e decidimos botar à prova alguns conceitos e criamos por alguns dias uma produtora de audiovisual itinerante. Eu ficava encarregado de fazer as negociações e eles, os vídeos e fotos.

assim conseguimos fechar uma permuta com uma acomodação (um hostel, mas provavelmente um dos melhores da cidade) em troca de alguns vídeos de qualidade pro marketing no Instagram do estabelecimento.

em seguida saímos pra almoçar e acabamos num restaurante super cool de comida orgânica, considerado o 2º melhor restaurante de Cusco. Ali mesmo tivemos a ideia de propor uma parceria também para os donos do restaurente. Após alguma negociação, fechei 1 semana de almoço e jantar em troca de alguns filmes e fotos do restaurante e dos pratos incrementados.

nossa produtora temporária nos permitiu ficar uma semana em Cusco sem gastar absolutamente nada. Produzimos um material bacana, comemos maravilhosamente bem e nos divertimos a valer. Se você quiser ver essa história mais de perto, pode ver nos episódios #3 e #4 do canal do Ando sem Destino.

durante aquele encontro, os meninos definiram as primeiras nuances da Mavo.co. E hoje a produtora (não mais temporária, mas ainda itinerante) já atendeu clientes como Ducati, Ford, UOL, Vogue, C&A e outros.

a conjunção de habilidades de outras pessoas sempre vai te levar mais longe, então não tenha medo de compartilhar seus sonhos e fazer parcerias temporárias ou de longo prazo.


(capítulo 5) RETORNO DE INVESTIMENTO

após alguns meses vivendo pela Europa, o bolso começou a apertar novamente. Minha agência ia bem, mas você perde muito dinheiro ganhando em reais e convertendo para euros. Pra evitar dificuldades como as enfrentadas em Nova Iorque, manter um bom padrão de viagem e ir atrás de novas aventuras decidi aplicar para um trabalho temporário para uma empresa de viagens de alto luxo. A Butterfield & Robinson oferece tours guiados de bicicleta por todo o mundo. O grande diferencial desta empresa é que ela atende clientes AAA, normalmente dos EUA, e leva estas pessoas pelos melhores hotéis e restaurantes que cada região do mundo pode oferecer.

meu cunhado trabalha lá e consegui uma indicação pro disputado quadro de guias de bicicleta da empresa. O processo seletivo é minucioso, mas minhas experiências empreendedoras, línguas e viagens contribuíram para eu ser selecionado. Trabalhei com eles cerca de 4 meses intermitentes, durante três temporadas na Europa, no final de 2018 e durante 2019.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

esta experiência me levou aos melhores hotéis e restaurantes de portugal (os guias, nesta empresa, são mais como hosts e ficam com os clientes em praticamente todas as atividades e hospedagens) e também me levou a ganhar valores significativos na moeda local (guias experientes podem ganhar até 4k+ euros durante 7 dias de viagem por causa das gorjetas generosas dos clientes).

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

outro fator importante foi a margem que esse fluxo de caixa me trouxe para eu ter tempo e recursos suficientes para investir em estudos e aprimoramento da metodologia da minha empresa, para fazer a transição para atender outro nicho de clientes. Isso me garante que em 2020 eu vou poder focar 100% na minha agência enquanto vivo na Europa, pois fiz os ajustes necessários para trazer clientes europeus preparados para investir pesado no crescimento de suas empresas.

alcançar algum tipo de margem, fôlego, combustível, é a única forma de você elevar o seu jogo pro próximo nível através de investimentos em você mesmo e nos seus projetos. Você precisa conquistar sua margem.


(capítulo 6) NEGOCIAÇÃO

quando decidi ficar por mais tempo em Portugal, aterrisei no Estoril, na região de Lisboa, ao acaso, onde fiquei no AirB&B de uma Portuguesa. Depois de alguns dias, conversando com ela descobri que ela era proprietária do Soul Lab, um centro de yoga de alta classe, que oferece aulas e retiros de yoga, meditação e danças.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

negociei o desenvolvimento do site deles em troca de hospedagem no centro durante 1 mês. Durante esse tempo, pude me aprofundar mais no universo da yoga e fazer aulas com os instrutores da casa.

o processo de negociação com a proprietária começou muito antes da ideia da permuta em si. Toda negociação bem-sucedida é, ao meu ver, precedida por um bom relacionamento. Isso facilita tudo. Quando existe confiança, você já está a meio caminho andando de fechar um negócio.


(capítulo 7) SENSO DE OPORTUNIDADE

quando estava morando nos alpes da França, decidi que queria passar mais tempo na costa de Portugal para poder surfar mais e expandir minha agência em terras lusófonas. Mirei na região de Ericeira, uma reserva internacional de surfe, e comecei a buscar acomodações que pudessem me receber por alguns meses. Eu queria viver numa casa espaçosa e com jardim para poder trazer meus dois gatos que gostam de explorar o mundo tanto quanto eu, e queria estar perto do mar. Uma combinação que, como você pode imaginar, me trouxe opções exorbitantes de caras nas buscas do AirB&B.

ao invés de desistir, eu traçei uma estratégia: juntar amigos nômades que estivessem afim de compartilhar uma casa bacana durante os meses de baixa temporada da Europa. Com isso, uma das casas mais legais que tinham aparecido nas minhas buscas, carinhosamente apelidada de Casa dos Sonhos pela Nathalia Montenegro, uma amiga que também está aqui, não estava mais tão distante dos nossos orçamentos. Depois de negociar um estadia mais longa (que o proprietário nunca tinha feito antes) e um valor mais acessível pelo longo período, fechei o contrato por cinco meses num lugar que literalmente estava há algum tempo no meu imaginário.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

ah, e recentemente propus pro proprietário norueguês a produção de um video promocional pro site dessa casa, utilizando as habilidades e equipamentos de produção dos meus 4 amigos que vivem aqui também. Com isso conseguimos abater o último mês de aluguel ;)

quando estavámos buscando opções de casa, meus amigos logo descartavam as opções mais caras por serem muito "sonho'. Minha experiência em Nova Iorque já havia me mostrado que tudo é possível. Se você quer algo pra valer, basta você se preparar e perguntar o número de vezes suficientes até você receber um sim.


existem muitas maneiras de viajar

em certos momentos da minha viagem eu não tive problema algum em dormir no sofá de amigos na Itália, em hosteis baratos do Líbano ou em cabanas de madeira nas altitudes do acampamento base do Everest. Mas em todos os outros, eu pude experimentar algumas das melhores regiões e acomodações sem gastar nada. E isso graças a estas 7 habilidades profissionais que eu desenvolvi ao longo da minha jornada empreendedora.

qual é o seu próximo destino e qual habilidade você está desenvolvendo neste momento que vai te levar até lá?


eu sonho, desde muito novo, poder viver em qualquer lugar enquanto empreendo com projetos que me tragam felicidade e façam da nossa sociedade um lugar melhor para se viver.

fundei a person.a, uma agência que trabalha exclusivamente com experts, para desenvolver negócios altamente escaláveis de serviços e de conteúdo, através de um posicionamento de marca pessoal eficaz, publicidade em redes sociais e ciclos de venda automatizados.

vivo há mais de 2 anos pelo mundo, me conectando com diferentes pessoas e lugares, enquanto escrevo e ajudo empreendedores a realizarem os seus próprios sonhos e negócios.


encontre Marcos Korody no LinkedIn, Instagram, Medium e Facebook.


receba por e-mail mais conteúdos meus como esse se cadastrando aqui.